sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Bolo de chocolate de família


Sou de uma família em que as mulheres vão pra cozinha desde novinhas. E tenho uma jovem
senhora como avó, senhora esta que me ensinou muito do que sei na arte culinária.

Acho que desde sempre eu vi minha avó fazendo bolos de aniversário, massa de pão de ló,
que ela sempre assava em formas grandes e recheava com doce de leite. Cobertura de glacê,
era sempre rosa para as meninas – meus bolos eram quase sempre da Moranguinho; e verde
para os meninos, com aquele campo de futebol em que a grama era feita de coco ralado e
açúcar cristal com corante. Depois, ela passou a desenhar palhacinhos com confete. Uma
graça.

Hoje existem tantos tipos de cobertura, papel de arroz e não sei mais o quê, que acredito que
ninguém mais faça glacê. Isso pra não falar dos cupcakes que tomaram o lugar dos bolos, com
suas coberturas ornamentais e gigantes.

Mas voltando à minha infância de ajudante de confeiteira, era sempre aquela rotina em que
minha vó gritava as ordens: “joga a casca de ovo fora”, “passa manteiga no tabuleiro”, “lava a
tigela da massa”. Esta última, a melhor oportunidade que se tinha de passar o dedão na borda
da bacia e comer um pouco de massa cru. Delícia. Claro, só não era melhor do que quando ela
abria a lata de leite condensado e não a utilizava como medida pro leite, um grande desafio
pra quem conseguisse e pudesse lamber o doce tentando não se cortar.

Como não bato glacê, não sei passar a receita, mas divido aqui a receita de bolo que aprendi
com Dona Luzia, adaptado para a versão de chocolate.

Ingredientes:

4 ovos;
1 colher de sopa de margarina com sal;
2 xícaras de chá de açúcar refinado;
1 copo (300ml) de leite;
2 xícaras de chá de farinha de trigo sem fermento;
2 colheres de sopa caprichadas de chocolate em pó (pode ser achocolatado, mas é mais doce);
1 colher de sopa de fermento.

Para untar:

Margarina;
Farinha de trigo.

Cobertura:

2 colheres de sopa de chocolate em pó ou achocolatado;
1 lata de leite condensado;
1 colher de sopa de margarina com sal;
1 shot de leite.

Para bater:

Batedeira. Rá!

Uma dica muito conhecida, mas eu que aprendi com a minha vó, é a de usar tudo em
temperatura ambiente – ovos, margarina e leite não devem estar gelados. Eu tiro tudo da
geladeira, unto a forma (uso uma de buraco ou uma retangular média), ponho o forno pra
aquecer em temperatura média (aqui em casa, isso é entre 200 e 220 graus), e separo os
outros ingredientes, pra só então começar a bater o bolo.

Começando com os ovos: separe as claras das gemas e bata as claras em neve, aumentando
a velocidade da batedeira conforme as claras forem ficando mais firmes. Elas aumentam a
chance de seu bolo crescer fofinho. Depois de batidas, deixe as claras num cantinho fresco.
Bata as gemas, o açúcar e a margarina bem, até que fique uma mistura lisinha. Daí, comece
a acrescentar, intercalando, o leite e a farinha. À medida que for colocando mais farinha,
aumente também a potência da batedeira.

Depois de bater bem a massa, de modo que ela fique bonita e lisinha, coloque o chocolate em
pó e bata por mais uns dois minutos, pra misturar tudo. Desligue a batedeira e coloque então
o fermento na massa. Misture com uma colher de pau, e depois acrescente as claras em neve,
misturando também com a colher de pau até que fique uma massa borbulhante.

Despeje tudo na forma e deixe assar de 30 a 40 minutos. Depois de trinta minutos, espete a
massa com uma faca. Saiu limpo, tá pronto, pode tirar do forno e deixar esfriar.

A cobertura é igual ao brigadeiro que a gente faz na panela, mas eu coloco o shot de leite pra
que fique molinho, com consistência de mingau. É só misturar todos os ingredientes e levar ao
forno mexendo até que vire uma calda. Depois, deixe esfriar. Pra acelerar esse processo, eu
encho uma tigela com água, coloco a panela da calda dentro e deixo por uns 15 minutos.

Com tudo pronto, é só furar o bolo todo com o garfo e despejar a calda. Rende várias porções.

Se testar a receita, me escreva pra eu saber que tem alguém lendo.E se queimar o dedo na forma, é só passar pomada de assadura.

Um comentário:

Café pingado disse...

Rose,

Lembra de mim?
Sou a Carol do hiddemsmile. Tô com um blog novo, e como sua "crítica" foi uma das primeiras que eu tive, adoraria que você me criticasse agora. hahaha

Um beijo.